Tipos de dor de cabeça: locais, sintomas, causas, tratamentos e mais!

Tipos de dor de cabeça: locais, sintomas, causas, tratamentos e mais!

Neste artigo, conheceremos os tipos de dor de cabeça, abordando sintomas e suas possíveis causas, bem como oferecendo dicas sobre alívio, tratamento e mais!


Saiba mais sobre os tipos de dor de cabeça e seus tratamentos!

Mulher deitada na cama sentindo dores de cabeça

Neste artigo, conheceremos mais sobre um problema que aflige muitas pessoas: a dor de cabeça. Todo mundo já sentiu dor de cabeça, e as causas são inúmeras. Há pessoas que sofrem de dores de cabeça constantes, o que as priva de uma melhor qualidade de vida.

A dor de cabeça é classificada em vários tipos, existindo cerca de 150 deles. Primeiramente, as dores de cabeça são divididas em dores primárias e secundárias, e cada um desses grupos tem subdivisões que especificam graus, sintomas e causas. Elas podem inclusive ocorrer em diferentes regiões da cabeça.

Há, ainda, diferença entre a dor de cabeça tensional, ocasionada pela tensão nos músculos e a enxaqueca, uma dor persistente que pode ter causas variadas. Acompanhe a seguir para ficar por dentro de informações detalhadas e úteis sobre a dor de cabeça.

Entendendo mais sobre a dor de cabeça

Mulher sentada numa cadeira com notebook no colo sentindo dor de cabeça

Iremos entender mais sobre a dor de cabeça, conhecendo o que ela é, seus sintomas, quais são os perigos da dor de cabeça frequente e como se dá seu diagnóstico e avaliação. Confira.

O que é a dor de cabeça?

A dor de cabeça é um sintoma, isto é, um sinal que alerta para alguma causa ou origem. Ela pode acontecer em qualquer região da cabeça, e em alguns casos ocorrer por irradiação, quando a dor se espalha a partir de um ponto. A dor de cabeça pode surgir de forma gradual ou imediata, e pode ter vários graus de intensidade e tempos diferentes de duração.

Entre os brasileiros, ela aparece em quinto lugar dentre os problemas de saúde mais frequentes, depois da ansiedade, do estresse, da alergia respiratória e das dores nas costas. Estresse, falta de sono, postura incorreta, tensão muscular e até mesmo a alimentação podem ser causas para esse incômodo tão frequente.

Sintomas da dor de cabeça

As dores de cabeça tensionais, o tipo mais comum, tendem a ser consistentes, podem ocorrer nos dois lados da cabeça e pioram com esforço físico. Já as enxaquecas apresentam dor latejante moderada a intensa, podendo haver náusea ou vômito, além de sensibilidade à luz, ruído ou odores.

As cefaleias em salvas são mais graves e raras e podem durar por períodos longos. A dor é intensa e se manifesta somente de um lado da cabeça, acompanhada de secreção nasal e olhos vermelhos e lacrimejantes.

As dores de cabeça sinusais são sintomas da sinusite, ocasionadas pelo congestionamento e inflamação dos seios da face.

Perigos e cuidados com a dor de cabeça frequente

A dor de cabeça frequente, mesmo aquela que não apresenta grande intensidade, mas que persiste, precisa ser investigada. Portanto, não deixe de procurar um médico caso tenha dor de cabeça e sintomas relacionados à cefaleia.

Preste atenção se a dor de cabeça começar repentinamente e com grande intensidade. Se ela não passar mesmo com a ajuda de analgésicos, busque assistência médica.

Sintomas adjacentes como confusão mental, febre alta, desmaios, alterações motoras e rigidez na nuca são sinais de que essa não é uma dor de cabeça normal e podem ser sintomas de doenças graves, como meningite, AVC e aneurisma.

Como as dores de cabeça são avaliadas e diagnosticadas?

Ao investigar a dor de cabeça, a primeira coisa a ser avaliada é a intensidade e a duração da dor. Além disso, informações relevantes serão requeridas pelo médico, como quando ela começou e se há alguma causa identificável (esforço físico excessivo, trauma recente, uso de certos medicamentos, dentre outras razões possíveis).

A definição da dor como primária ou secundária orientará o tipo de tratamento. Exame físico e histórico médico fazem parte da avaliação mais aprofundada. Para alguns tipos de dor de cabeça, testes de diagnóstico são realizados para determinar a causa, como exames de sangue, ressonância magnética ou tomografia computadorizada.

Tipos de dor de cabeça – Cefaleias primárias

Mulher com dor de cabeça

A fim de nos aprofundarmos em relação à dor de cabeça, é necessário abordar os tipos de cefaleia. Conheceremos a seguir as cefaleias que são conhecidas como cefaleias primárias.

Cefaleia tensional

A cefaleia tensional é classificada como cefaleia primária e é o tipo mais comum de dor de cabeça. A dor pode ser leve, moderada ou intensa, e costuma surgir atrás dos olhos, na cabeça e no pescoço. É comum que pacientes com cefaleia tensional a descrevam como a sensação de ter uma faixa apertada em torno da testa.

Esse é um tipo de cefaleia experimentado pela grande maioria da população, de maneira episódica, podendo ocorrer todos os meses. Existem casos, mais raros, de cefaleia tensional crônica, que se configura em episódios de longa duração (mais de quinze dias por mês). As mulheres estão duas vezes mais propensas do que os homens a sofrerem desse tipo de cefaleia tensional.

Dores de cabeça tensionais são causadas por contrações musculares nas regiões da cabeça e pescoço. A tensão se deve a diversos fatores e hábitos, como atividades que sobrecarregam, alimentação, estresse, muito tempo diante do computador, desidratação, exposição a baixas temperaturas, excesso de cafeína, fumo e álcool, noites mal dormidas, dentre outros estressores.

Geralmente, apenas a mudança de hábitos já é suficiente para aliviar a cefaleia tensional. Para casos persistentes, existem opções de tratamento, desde medicamentos como analgésicos e relaxantes musculares a acupuntura e outras terapias.

Cefaleia em salvas

Os sintomas que caracterizam a cefaleia em salvas são dor intensa e penetrante. Essa dor é sentida na região dos olhos, especialmente atrás do olho, ocorrendo em um lado do rosto de cada vez. O lado afetado pode apresentar lacrimação, rubor e inchaço, além de congestão nasal. Os episódios se dão em séries, isto é, crises que duram de 15 minutos até 3 horas.

É comum que quem experimenta cefaleia em salvas sofra com repetições diárias com intervalos, possivelmente no mesmo horário todos os dias, o que causa aflição considerável, já que as crises podem se estender durante meses. Dessa maneira, pacientes que têm cefaleia em salvas passam meses sem sentir nada e meses com os sintomas ocorrendo diariamente.

A cefaleia em salvas é três vezes mais comuns em homens do que em mulheres, mas suas causas não foram ainda determinadas com exatidão. Existem casos mais severos em que o paciente desenvolve uma versão crônica desse tipo de cefaleia, em que os sintomas ocorrem regularmente por mais de um ano, seguindo-se um período sem dor de cabeça que dura menos de um mês.

O diagnóstico depende de exame físico e neurológico e o tratamento é feito com medicamentos. Quando estes não funcionam, pode-se ter que recorrer a cirurgia.

Enxaqueca

A enxaqueca é caracterizada como uma pulsação no fundo da cabeça. Essa dor é intensa e geralmente é unilateral, isto é, concentrando-se em um lado da cabeça. Ela pode durar dias, o que limita significativamente o paciente em relação às suas tarefas diárias. Além da dor, o paciente fica sensível à luz e a ruídos.

Outros sintomas adjacentes são náuseas e vômitos, além de formigamento em um lado do rosto ou no braço, e, em graus intensos, dificuldade para falar. Um sinal de que a enxaqueca está ocorrendo é a percepção de diversos distúrbios visuais: luzes piscando ou cintilando, linhas em ziguezague, estrelas e pontos cegos.

Esses distúrbios são chamados de auras de enxaqueca e precedem a dor de cabeça em um terço das pessoas. É preciso ficar atento porque os sintomas da enxaqueca podem ser muito similares aos de um AVC. Diante de qualquer dúvida, procure atendimento médico imediato.

As mulheres são mais propensas do que os homens a sofrerem desse tipo de dor de cabeça. Quanto às causas da enxaqueca, elas vão desde ocorrência genética à ansiedade, mudanças hormonais, abuso de substâncias e associação com outras condições do sistema nervoso. O tratamento é feito com medicamentos e técnicas de relaxamento.

Hemicrania contínua

A Hemicrania contínua é uma cefaleia primária, isto é, faz parte da categoria de cefaleias que não têm necessariamente origem devido a outras doenças, já que as cefaleias secundárias correspondem a sintomas de determinadas condições médicas.

Ela se caracteriza como uma dor de cabeça de intensidade moderada, que ocorre unilateralmente, ou seja, em um lado da cabeça, com duração contínua que pode durar alguns meses. Ao longo do dia, sua intensidade é variável, com dor leve em algumas horas e intensificando-se em determinados horários.

Dentro dos tipos de dores de cabeça, a Hemicrania contínua é responsável por cerca de 1%, o que significa que não é o tipo de cefaleia com maior incidência na população. A Hemicrania contínua é duas vezes mais comum em mulheres.

Alguns sintomas adjacentes podem surgir nos episódios de Hemicrania contínua, como lacrimejamento ou vermelhidão dos olhos, coriza, congestão nasal e suor na cabeça. Uma parte dos pacientes pode demonstrar inquietação ou agitação, além de apresentar pálpebra caída e miose (contração da pupila) temporária.

As causas da HC não foram determinadas ainda e o tratamento é feito com um medicamento chamado indometacina, um anti-inflamatório não esteroide (AINE). Outras opções de medicamentos incluem outras alternativas de AINE ou o antidepressivo amitriptilina.

Cefaleia de picador de gelo

A cefaleia de picador de gelo também recebe o nome de síndrome de dor de cabeça de curta duração. Ela pode ser classificada como dor primária, quando não é causada por outro diagnóstico associado, ou como dor secundária, quando originada por uma condição pré-existente.

Ela se caracteriza por dores intensas, repentinas e curtas, durando apenas alguns segundos, podendo ocorrer ao longo do dia. Um aspecto distinto de seus sintomas é que esse tipo de dor tende a se mover para diferentes regiões da cabeça. Além disso, é bastante comum que essa cefaleia surja durante o sono ou as horas de vigília.

Dentre seus sintomas, os mais marcantes são: a curta duração da dor que, apesar de intensa, dura poucos segundos e a ocorrência em ondas, ou seja, o retorno da dor ao longo de várias horas com intervalos, podendo acontecer 50 vezes por dia. A localização mais frequente da dor é no topo, na frente ou nas laterais da cabeça.

A causa desse tipo de cefaleia é atualmente desconhecida, mas acredita-se que esteja associada a interrupções de curto prazo nos mecanismos centrais de controle da dor do cérebro. O tratamento é preventivo e inclui medicamentos como indometacina, gabapentina e melatonina.

Cefaleia em trovoada

A natureza da cefaleia em trovoada é súbita e explosiva. Ela é considerada uma dor extremamente forte, que surge repentinamente e progride para um pico de intensidade em menos de um minuto. Essa dor pode ser passageira e não se dar em razão de nenhuma condição subjacente. Porém, pode ser um sintoma de um problema sério que requer atenção médica imediata.

Portanto, se sentir esse tipo de dor de cabeça, procure atendimento o mais rápido possível, a fim de que um médico avalie as possíveis causas. Os sintomas de uma cefaleia em trovoada incluem dor repentina e severa, e a pessoa que sente essa dor a descreve como a pior dor de cabeça que já sentiu. A dor também pode se estender para a região do pescoço e tende a diminuir após cerca de uma hora.

O paciente pode ter vômitos e náuseas e até mesmo desmaio. As condições de saúde que podem, mais frequentemente, ocasionar a dor de cabeça em trovoada são: a Síndrome da Vasoconstrição Cerebral Reversível (SVCR – também conhecida como Síndrome de Call-Fleming) e a Hemorragia Subaracnóidea (HSA). Causas menos comuns incluem a Trombose Venosa Cerebral (TVC), dissecção arterial, meningite e, mais raramente, Acidente Vascular Cerebral.

Outros tipos de dor de cabeça – Cefaleias secundárias

Homem sentado em frente a notebook com as mãos na cabeça

As cefaleias secundárias são causadas por algumas condições ou distúrbios. Vamos conhecer as causas mais comuns para esse tipo de dor. Acompanhe a seguir.

Dor de cabeça causada pela sinusite ou alergia

Algumas dores de cabeça são causadas pela sinusite ou alergia. A sinusite é uma inflamação do tecido que reveste os seios da face (espaços ocos atrás das maçãs do rosto, testa e nariz). Essa é a área da face que produz o muco que mantém o interior do nariz úmido, protegendo contra poeira, alérgenos e poluentes.

A infecção sinusal provoca dor de cabeça e pressão nos seios da face. Essa dor pode ser leve a intensa e tende a ocorrer com mais frequência no período da manhã. Quando intensa, pode irradiar para os ouvidos e maxilar superior. Outros sintomas da sinusite são: coriza, congestão nasal, secreção nasal amarela, verde ou branca, tosse, fadiga e até febre.

As causas da sinusite são infecções virais e alergias que afetam o trato respiratório superior. O diagnóstico da dor de cabeça causada pela sinusite ou alergia depende de avaliação do médico acerca do seu histórico de saúde. Alguns casos exigem exames como tomografia computadorizada e endoscopia nasal.

O tratamento é feito com medicamentos para a desobstrução do canal nasal, assim como para combater a infecção. A realização de cirurgia pode ser uma opção quando os medicamentos não conseguem tratar a doença de maneira eficaz.

Dor de cabeça hormonal

Nas mulheres, os níveis hormonais flutuantes podem ocasionar dores de cabeça crônicas e enxaquecas menstruais. As mudanças nos níveis hormonais se dão durante alguns ciclos, como a menstruação, a gravidez e a menopausa, mas também podem ser originadas pelo uso de contraceptivos orais, bem como pela reposição hormonal.

É comum que as mulheres se livrem da dor de cabeça do tipo hormonal, ou das enxaquecas menstruais após o fim da fase reprodutiva, isto é, com a menopausa. Pesquisas científicas associam a causa desse tipo de dor de cabeça ao hormônio feminino estrogênio. Nas mulheres, este hormônio controla as substâncias químicas no cérebro que afetam a sensação de dor.

Quando acontece uma queda nos níveis de estrogênio, uma dor de cabeça pode ser desencadeada. Porém, os níveis hormonais são afetados por inúmeras razões para além do ciclo menstrual. Na gravidez, por exemplo, os níveis de estrogênio aumentam, o que faz com que muitas mulheres tenham uma interrupção nessas crises de Cefaleia.

Até mesmo razões genéticas contribuem para as enxaquecas hormonais, mas hábitos como pular refeições, dormir e se alimentar mal, como tomar muito café também podem ocasioná-las. Além disso, estresse, mudanças climáticas também são fatores que desencadeiam crises.

Dor de cabeça causada pelo excesso de cafeína

O abuso de substâncias estimulantes, como a cafeína, também pode ser uma causa para a dor de cabeça. Isto se dá porque o fluxo sanguíneo no cérebro é afetado pelo consumo de cafeína. O que nem todas as pessoas sabem é que não é apenas o exagero que causa a dor de cabeça: parar de tomar café também pode ocasionar o mesmo efeito.

Em alguns casos, porém, a cafeína pode aliviar as dores de cabeça, especialmente nos casos de cefaleia tensional e enxaqueca, e inclusive potencializar o efeito de alguns analgésicos, como o ibuprofeno (Advil) ou o acetaminofeno (Tylenol).

Em relação à cafeína como causa de cefaleia, estima-se que ela pode desencadear dor de cabeça quando ingerida em excesso porque, além de afetar quimicamente o cérebro, a cafeína tem ação diurética, isto é, ela pode fazer a pessoa urinar mais, provocando desidratação.

A cafeína, quando consumida em grande quantidade, pode causar até mesmo uma overdose. Nesses casos, os efeitos colaterais não param na dor de cabeça, e eles vão desde pulsação acelerada ou irregular, até letargia, vômito e diarreia, podendo levar à morte em casos extremos.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) considera como seguro o consumo de até 400 mg de cafeína por dia (para pessoas saudáveis).

Dor de cabeça causada pelo excesso de esforço

Atividades físicas intensas provocam o aumento do fluxo sanguíneo para o crânio, resultando em uma dor que se caracteriza como latejante e ocorre em ambos os lados da cabeça. Essas cefaleias geralmente são de curta duração, desaparecendo em alguns minutos ou horas, com o repouso após o esforço a que o corpo foi submetido.

As cefaleias causadas por esforço físico são dividias em duas categorias: cefaleia primária por esforço e cefaleia secundária por esforço. O tipo primário é inofensivo e acontece exclusivamente em razão de uma atividade física.

O tipo secundário, por sua vez, faz com que uma condição pré-existente, como tumores ou doença arterial coronariana, provoquem dor de cabeça durante o esforço físico. O sintoma mais marcante de uma dor de cabeça por esforço é o fato dessa dor ser latejante, podendo estar localizada em apenas um lado da cabeça, mas também ser sentida em todo o crânio.

Ela pode ser uma dor moderada a intensa e pode começar durante ou após a atividade física que demanda esforço. Quando do tipo primária, sua duração é estimada como variável, ou seja, pode durar de cinco minutos a dois dias. Nos casos do tipo secundário, a dor pode durar vários dias.

Dor de cabeça causada pela hipertensão

A condição chamada de hipertensão, ou pressão alta, manifesta-se por meio de alteração na força do bombeamento de sangue através das artérias. Na hipertensão, a tensão exercida pelo sangue nas paredes dos vasos é consistentemente muito alta, fazendo com que as paredes se expandam além do limite normal.

Essa pressão causa danos no tecido e aumenta, o risco de ataque cardíaco, derrame e doença renal. É comum, no entanto, que a hipertensão não cause nenhum sintoma, mas em casos mais raros, a hipertensão grave pode ser acompanhada por sintomas como dores de cabeça, tontura, rubor facial e vômito.

As dores de cabeça causadas pela hipertensão geralmente ocorrem quando a pressão fica muito alta e são, geralmente, resultado de alguma condição de saúde subjacente do paciente, como tumores adrenais, encefalopatia hipertensiva, pré-eclâmpsia e eclampsia, ou, ainda, relacionadas ao uso ou abstinência de drogas.

A retirada de betabloqueadores, alfa-estimulantes (por exemplo, clonidina) ou álcool pode causar elevação da pressão com acompanhamento de dores de cabeça. Assim, o paciente que sabe que tem hipertensão e tem dores de cabeça deve consultar um médico, a fim de investigar a existência de outras condições de saúde. Seguir o tratamento adequando prescrito para os hipertensos é imprescindível, e ele inclui manter bons hábitos de saúde.

Cefaleia rebote

A cefaleia rebote é causada pelo uso excessivo de medicamentos, especialmente analgésicos de venda livre (OTC), como paracetamol, ibuprofeno, naproxeno e aspirina, ou seja: é um efeito colateral do abuso dessas substâncias. São dores que se assemelham às dores de cabeça do tipo tensional, mas também podem ocorrer de maneira mais intensa, como nas enxaquecas.

O uso de medicamentos (especialmente os analgésicos que contém cafeína) que se estende por mais de 15 dias por mês pode ocasionar a cefaleia rebote. Quem sofre cronicamente de uma cefaleia específica pode ter episódios de cefaleia rebote ao fazer uso constante de analgésicos.

Os sintomas desse tipo de cefaleia são variáveis, isto é, sintomas diferentes podem ser desencadeados a depender do medicamento usado. Essas dores tendem a ocorrer quase todos os dias, e são bastante frequentes no período da manhã. É comum que a pessoa sinta alívio ao tomar o medicamento analgésico e perceba que a dor retorna assim que o efeito do remédio passa.

Sintomas que são um alarme para buscar ajuda médica: náusea, inquietação, problemas de memória, irritabilidade e dificuldade de concentração. As pessoas que precisam tomar analgésicos mais de duas vezes por semana devem procurar um médico para investigar as causas da cefaleia.

Cefaleia pós-traumática

Uma concussão é uma lesão cerebral traumática causada por pancada, colisão ou golpe na cabeça. Esse é o tipo mais comum e considerado menos grave dentre as lesões cerebrais traumáticas, ocorrendo com grande incidência em jovens que praticam atividades esportivas e recreativas, mas com causas também relacionadas a acidentes de carro e de trabalho, quedas e agressões físicas.

O impacto de um golpe ou uma pancada na cabeça pode sacudir o cérebro, fazendo com que ele se mova dentro do crânio. Concussões podem causar hematomas, danos nos nervos e nos vasos sanguíneos. Como resultado, quem sofreu uma concussão pode ter a visão e o equilíbrio alterados, e até mesmo ficar inconsciente.

Ter dor de cabeça imediata à concussão é normal, porém, senti-la dentro de 7 dias após a lesão é um sinal de Cefaleia pós-traumática. Os sintomas se assemelham aos da Enxaqueca, de intensidade moderada a grave. A dor é geralmente pulsante, e sintomas adicionais são: náuseas, vômito, tontura, insônia, problemas de memória e concentração, mudanças de humor e sensibilidade à luz e a ruídos.

Uma concussão sempre deve ser avaliada por um médico, que pode solicitar uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética para descartar sangramento ou outra lesão cerebral grave.

Dor de cabeça cervicogênica (da coluna)

A dor de cabeça cervicogênica é uma dor de cabeça secundária, isto é, causada por outro problema de saúde. É resultante de uma desordem na coluna cervical e se caracteriza como uma dor que se desenvolve no pescoço e na nuca. O paciente relata uma dor sentida mais intensamente na região do crânio, devido à irradiação.

Ela acontece frequentemente em apenas um dos lados da cabeça. Esse tipo de cefaleia é muito comum, acometendo milhões de pessoas. Sua ocorrência tende a ser incapacitante, a depender da intensidade da dor, afetando as atividades rotineiras e a qualidade de vida como um todo.

As alterações na coluna que desencadeiam a cefaleia cervicogênica são aquelas que atingem as vértebras cervicais, como as hérnias de disco, o pinçamento de raízes cervicais, a estenose de canal cervical, mas também torcicolos e contraturas.

Pessoas que têm problema de má postura frequentemente reclamam de dor de cabeça, podendo confundi-la com enxaqueca e dor de cabeça tensional, já que ambas podem afetar a região da nuca e pescoço.

Tratar a cefaleia cervicogênica depende do tratamento do problema que causa a dor. Formas eficazes de alívio são as terapias físicas, como fazer exercícios regulares e fisioterapia, mas há casos que necessitam de cirurgia.

Disfunção temporomandibular – DTM

A Disfunção Temporomandibular (DTM) abarca uma série de problemas clínicos que acometem os músculos da mastigação, assim como a articulação temporomandibular (ATM) e suas estruturas associadas. Essa é uma síndrome que resulta em dor e sensibilidade nos músculos da mastigação, sons articulares provocados pela abertura da mandíbula, bem como limitação do movimento mandibular.

Pessoas que sofrem de dor na articulação temporomandibular são uma em cada dez, conforme pesquisas médicas, que também confirmaram um encaminhamento da dor da cabeça para a articulação temporomandibular e vice-versa. A cefaleia, nestes casos, é descrita como uma dor em aperto, e o paciente encontra alívio quando consegue relaxar.

A DTM também pode desencadear Enxaqueca, ocorrendo com sintomas adicionais, como dor na face e no pescoço. Não existe uma definição exata para a causa da DTM, mas sabe-se que alguns hábitos trazem propensão ao desenvolvimento dessa disfunção, tais como: apertar os dentes com frequência, especialmente à noite, passar longos períodos com a mandíbula apoiada na mão, mas também mascar chicletes e roer as unhas.

Para avaliar um possível caso de disfunção temporomandibular, recomenda-se ir a um dentista. A avaliação consiste em palpação da articulação e da musculatura, assim como detecção de ruídos. Exames complementares são a ressonância magnética e a tomografia.

Outras informações sobre os tipos de dor de cabeça

Homem trabalhando sentindo dores de cabeça

É importante ficarmos por dentro de informações minuciosas sobre a dor de cabeça, a fim de saber quando ela é preocupante e o que fazer para preveni-la. A seguir, responderemos a essas perguntas e daremos dicas sobre como aliviar a dor de cabeça. Acompanhe.

Quando a dor de cabeça é preocupante?

Na maioria dos casos, as dores de cabeça são episódicas, desaparecendo em cerca de 48 horas. A dor de cabeça é preocupante se você a sentir por mais de 2 dias, especialmente aquelas que aumentam de intensidade.

Uma pessoa que tem dores de cabeças muito regulares, isto é, por mais de 15 dias por mês durante um período de 3 meses pode ter uma condição de cefaleia crônica. Algumas cefaleias são sintomas de outras doenças.

Procure atendimento médico imediato se tiver dor de cabeça repentina e intensa, sobretudo se acompanhada de febre, confusão, torcicolo, visão dupla e dificuldade para falar.

O que fazer para prevenir a dor de cabeça?

Existem medidas preventivas que podem ser úteis para evitar muitos tipos de dores de cabeça. As cefaleias em salvas, por exemplo, podem ser prevenidas com o uso de um medicamento chamado Emgality, que elimina o CGRP, uma substância que desencadeia crises de enxaqueca.

De modo geral, as mudanças de hábitos são as medidas preventivas mais eficazes para evitar as cefaleias, em especial quando elas não são causadas por outras doenças.

Hábitos positivos que têm potencial de afastar o surgimento das dores são: dormir bem e em horário regular, aderir a uma alimentação saudável e equilibrada, hidratar-se, fazer exercícios físicos e buscar meios de controlar o estresse.

Como aliviar a dor de cabeça?

Há diversas maneiras de aliviar a dor de cabeça. A forma mais comum de alívio para a cefaleia é o uso de medicamentos analgésicos. Antes de tudo, porém, é preciso identificar que tipo de cefaleia o paciente deverá tratar, já que existem tratamentos específicos para diferentes tipos de dores de cabeça.

Eles vão desde simples ajustes na dieta a procedimentos mais invasivos que são realizados por um médico, quando a resposta aos medicamentos, por exemplo, é baixa. Algumas cefaleias respondem bem a alguns medicamentos, enquanto outras podem ser desencadeadas inclusive por remédios analgésicos destinados a tratar determinado tipo de dor de cabeça.

Fique atento aos tipos de dor de cabeça e procure um médico se necessário!

Homem sentado na cama sentindo dor de cabeça

É importante conhecer como as dores de cabeça ocorrem e, principalmente, investigar as suas causas, caso sejam frequentes ou acompanhadas de outros sintomas. Saber que tipo de cefaleia está sendo desencadeada e o porquê é crucial para encontrar o tratamento adequado.

Existem diversos fatores que causam as dores de cabeça, desde estresse, excesso de estimulantes a realização de esforço físico e alterações hormonais. Há, inclusive, dores que alertam para algum problema mais sério de saúde.

A fim de descartar a relação de dores de cabeça persistentes ou muito fortes com doenças, não deixe de consultar um médico e evite se automedicar.

Autor deste artigo

Sempre gostei de escrever. Escrevo sobre filmes e sonhos, e aprecio viagens, história e cultura em geral.

Palavras-chave relacionadas


autocuidado

Artigos relacionados


Menstruar na lua minguante: entenda as fases da lua e o ciclo menstrual!

Menstruar na lua minguante: entenda as fases da lua e o ciclo menstrual!

Você sabia que as fases da lua interferem e trazem diferentes significados para o ciclo menstrual? Leia o artigo e entenda mais sobre seu equilíbrio interior!


Depressão profunda: o que é, causas, sintomas, como vencer e mais!

Depressão profunda: o que é, causas, sintomas, como vencer e mais!

Depressão profunda é a fase mais grave do transtorno psicológico, mas tem tratamento e o paciente precisa de apoio. Saiba mais aqui!


Afirmações positivas "eu sou": o que são, exemplos, como criar a sua e mais!

Afirmações positivas "eu sou": o que são, exemplos, como criar a sua e mais!

Você sabe o que são afirmações positivas e lei da atração? Então leia esse artigo e descubra o que é afirmação positiva, exemplos, como criar e mais!


Pensamentos intrusivos: o que são, tipos, exemplos, tratamento e mais!

Pensamentos intrusivos: o que são, tipos, exemplos, tratamento e mais!

Pensamentos intrusivos são mais comuns do que você imagina. Descubra neste artigo o que são, como lidar e outros aspectos desses tipos de pensamentos!


Depressão na gravidez: o que é, causas, sintomas, tratamento e mais!

Depressão na gravidez: o que é, causas, sintomas, tratamento e mais!

A depressão gestacional é muito comum e quando não tratada, pode causar diversas consequências, sobretudo, para mãe e o bebê. Leia o artigo para saber mais!


Últimos posts


O que significa sonhar que ganhou na Mega-Sena: quina, prêmio, bilhete e mais!

O que significa sonhar que ganhou na Mega-Sena: quina, prêmio, bilhete e mais!

Nesse compilado nós trouxemos as interpretações de 15 tipos de sonhos em que os sonhadores veem premiações na Mega-Sena e situações semelhantes. Confira!


Sonhar com mãe doente: significado, no hospital, em perigo e mais!

Sonhar com mãe doente: significado, no hospital, em perigo e mais!

Sonhar com mãe doente indica preocupação com uma pessoa importante, especialmente a própria mãe. Mas não só isso. Veja mais aqui!


Banho de Exu: para abrir caminhos, limpeza espiritual, proteção e mais!

Banho de Exu: para abrir caminhos, limpeza espiritual, proteção e mais!

O banho de Exu é uma forma poderosa e eficaz para abertura de caminhos, limpar o campo energético, entre outros exemplos. Leia esse artigo e saiba mais!


Banho de Artemísia: para que serve, propriedades, como fazer e mais!

Banho de Artemísia: para que serve, propriedades, como fazer e mais!

Aprenda aqui como fazer o banho de Artemísia. A erva possui diversos benefícios para a saúde, além de promover limpeza energética, atrair proteção e muito mais!


Sonhar com nota de 2 reais: falsa, rasgada, nova, velha, na carteira e mais!

Sonhar com nota de 2 reais: falsa, rasgada, nova, velha, na carteira e mais!

Sabia que sonhar com nota de 2 reais traz vários significados? Pode revelar prosperidade, mas não fala só de dinheiro. Clique e entenda todas as interpretações!